<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
31.12.05
 
Happy New Year to you all

30.12.05
 

International Herald Tribune


29.12.05
 


El Pais
28.12.05
 


Corriere della Sera
27.12.05
 

BBC
26.12.05
 

Earth&Sky
25.12.05
 
O sorriso de Deus

Lost Art

Na História, que é a das religiões, o Homem sempre procurou Deus.
Com o nascimento de um menino, encontrou-o.

O Natal é um sorriso de Deus num mundo que teima em prosseguir com teofanias desnecessárias e egoísmos aterradores.
Sem esse sorriso a vida humana seria apocalíptica.
O Tempo seria apenas uma espera sem sentido, a miséria aceite e aceitável e a opressão tolerável e tolerada.

O menino que nasceu, na terrível maioria das grandes cidades da Ásia, da África, da América Latina, não tem sequer um palheiro para acolher seus pobres pais, mas apenas um viaduto de betão perante a indiferença dos que passam nos automóveis.
O berço é uma caixa de cartão forrada de jornais em que as manchetes falam de consumo.

E mesmo assim, quando crescer, esse menino pregará, como o outro nascido há mais de dois milénios, a para recriar a Esperança, o nosso maior grito mitológico.
Um grito não fanático, não subjugado, mas a única resposta para a nossa amargura e abandono, acreditem...

(adaptado de Victor Cunha Rego, Os dias de amanhã 1999)



24.12.05
 
BlogoFestas

Soyez réalistes.
Demandez l'impossible.
Je vous souhaite un Joyeux Noël
 
Edward Monkton

(gentilmente apresentado pela Muska)

23.12.05
 
Outros presentes

Joey Tomassoni

"
whatever you did for one of the least of these brothers of mine,
you did for me."
Matthew 25:34–40


Houve tempos em que a alma de cada um podia abandonar-se a uma fé viva e simples.
O Natal era um acontecimento sem par.

Hoje, a véspera é um dia de compras.
À noite come-se e bebe-se.
A vida de Cristo passou a constar do folclore.

O comércio e o consumo tomaram o lugar das profecias.
A maioria não compreende que, não é o tempo a passar, são eles próprios.

A maioria não compreende que sem regressar a Cristo (mesmo sem fé), ele não passará de mais um objecto; e os objectos são vazios.
A maioria não percebe que há outros presentes a oferecer, bem mais simples mas essenciais.
Um gesto de solidariedade e ternura para com os que precisam: O filho pródigo; o pai envelhecido; o irmão doente; o amigo dependente; a criança em risco; a mãe solitária; o amante inseguro;...

Esse gesto – que de pouco vale se não for concreto – é o contrário da vaidade fútil, da agitação febril de um ideal fáustico que todos são livres de escolher.

(adaptado de quem tenho muita saudade, Victor Cunha Rego - Os dias de amanhã 1999)


22.12.05
 
Contos do Além: Mistério

Space.com

E perante o olhar, eis o dardejar do Mistério.

The young, extremely hot white dwarf star H1504+65,

as viewed from a distance similar to that of the Earth from the Sun.
Astronomers studying the leftover remnants of stars like our own Sun,
have found a remarkable object where the nuclear reactor that once powered it has only just shut down.
This star, the hottest known white dwarf,

seems to have been stripped of its entire outer regions during its death throes leaving behind the core that formed its power plant.

The stellar surface is extremely hot, 200,000 degrees,

and is virtually free of hydrogen and helium,
something never before observed in any star.
Instead, the surface is composed mainly of carbon and oxygen,

the 'ashes' of the fusion of helium in a nuclear reactor.


 
Streets in Brasil

JesseR Fotolog

There is no cities in the world where graffiti art doesn't exist in its any kind of form.
 
Sentences on Conceptual Art 32

Sol LeWitt, 2002 Splotch

Banal ideas cannot be rescued by beautiful execution.
(Sol Lewitt 1969)
21.12.05
 
Sentences on Conceptual Art 31

Donald Judd, 1973/1981/1988 untitleds

If an artist uses the same form in a group of works,
and changes the material,
one would assume the artist's concept involved the material.
(Sol Lewitt 1969)

20.12.05
 
16/34 - Com qualidade

SCP

Sporting 3 Rio Ave 0
Alegrias: 20
Dores: 15

Liedson 32' 53'
Tonel 42'

Liedson 8
Deivid 5
Rogério 2
Luis Loureiro, Douala, Nani, Beto, Carlos Martins, Tonel 1

Liga Betandwin.com :)
1º. Porto 34 pts
. Nacional, Sporting 30 pts
3º. Setubal, Braga 29 pts




 
Contos do Além: Abismo

Space.com The picturesque Sombrero galaxy

Eis a boca hiante do Abismo
E à sua beira tremem as almas
E em seu sorvedouro declivam as estrelas.
 
Sentences on Conceptual Art 30

Sol LeWitt, Concentric irregular

There are many elements involved in a work of art.
The most important are the most obvious.
(Sol Lewitt 1969)
19.12.05
 
Wall run

The cat leap

The way is the path of silence.
Cut across town quietly at your own speed.
Concentrate on footwork, your touch, your own sensibility.
Look for cat-like silence and you will find the path...
This is the way
Sebastien Foucan

18.12.05
 
Erudição e Cultura

O saber não está na ciencia alheia, que se absorve,
mas principalmente nas ideias próprias que se geram dos conhecimentos absorvidos.
Um sabedor não é armário de sabedoria armazenada, mas transformador reflexivo de aquisições digeridas.

(Rui Barbosa, Pensamentos, S. Paulo 1926, pág. 110)

O vulgar é ler, dá erudição.
Mas raro é reflectir.
É da "digestão" do que "comemos" que nasce a cultura.

Cultura é o que fica no espírito, depois de já termos esquecido aquilo que lemos.

 
Dois anos de navegação sem serem apanhados. Parabéns seus piratas
Quinta-feira, Dezembro 18, 2003

BOMBARDEIO, LOGO EXISTO

 
Dois anos com uma barriga de excepção. Parabéns Daniel

lverl 2003-12-18 Quinta-feira
Podemos saber o nome de um pássaro em todas as línguas do mundo, mas no fim, não sabermos nada sobre esse pássaro...
Por isso, vamos olhar para o pássaro e ver o que ele está a fazer – é isso que interessa.
Eu aprendi bem cedo a diferença entre saber o nome de algo e saber algo.

(Richard Feynman)


17.12.05
 
Baza, Baza... Abre a pestana, tana


s vezes melhor um gajo nem se levantar
Mais vale ficar o dia inteiro na cama a sonhar
Tanta coisa na minha cabea p'ra me preocupar
Tanta coisa nesta vida de merda para pensar
Sem dinheiro no fcil no desanimar

Baza, baza
Vai p'ra casa, casa
Abre a pestana, tana
Isto aki no um filme, boy

Se no paro de pensar vou enlouquecer
akela merda pode tocar mas no vou atender
Vou pr o som a rappar o mais alto que puder
mulho que souber nas lojas disponivel para quem quiser
Put your hands in the air and bounce to this

mesmo assim yoh, tu sabes k yoh, qu' k vais fazer yoh

baza, baza, isto aki no um filme boy
baza, baza real mesmo assim yoh
baza, baza, deixem o ac em paz yoh
baza, baza eu quero paz e amor, s

(Boss AC)

16.12.05
 
15/34 - Boa reacção

SCP

Naval 0 Sporting 2
João Moutinho 37'
Alegrias: 19
Dores: 15

Liedson 6
Deivid 5
Rogério 2
Luis Loureiro, Douala, Nani, Beto, Carlos Martins, João Moutinho 1

Liga Betandwin.com :)
1º. Porto 31 pts
2º. Nacional 30 pts
3º. Setubal 29 pts
4º. Sporting 27 pts



 
Das Torres do Saber

Odette Drapeau, artiste du livre

Vocês, os filósofos, colocam questões sem resposta, que assim devem permanecer para que mereçam o nome de filosóficas.
Uma questão equacionada só pode ser, segundo vocês, uma questão técnica.
Era técnica.
Foi tomada como filosófica.

Desviam então a vossa atenção para uma outra que aparenta ser impossível de resolver e que deve resistir a toda e qualquer conquista do entendimento.
Ou então, o que acaba por ser o mesmo, declaram que o facto de a primeira questão ter sido resolvida se deve à mesma ter sido mal colocada.
E atribuem a vocês mesmos o privilégio de a manter irresolúvel, ou seja bem colocada, a questão que a técnica, ao acreditar tê-la solucionado, mais não fez que a maltratar.

Uma solução tem para vocês o valor de uma ilusão, é uma verdadeira falta para com a integridade devida ao ser, e por aí fora.
Vida longa à vossa paciência.
Poderão sempre resistir à custa desta incredulidade.
Não se espantem no entanto se por causa desta irresolução, o leitor caia no aborrecimento.

(Jean François Lyotard, no Graduiertenkolleg da Universidade de Siegen (Alemanha), Novembro 1986)

Post Scriptum:


Quero sublinhar, que nem tudo o que aqui edito, corresponde ao meu pensar, bem pelo contrário.
O que faço, é passear pelo pensamento e factura dos outros (gigantes ou pigmeus), editando aquilo que me interessa, mas sem ter em conta o meu acordo ou desacordo.
Aliás sou mais de perguntas e de dúvidas, do que de problemas resolvidos.
A minha posição em relação a quase tudo é ambígua, porque pura e simplesmente,... não sei.

E esta crítica com humor, que trancrevi de Lyotard, assenta-me.
Talvez não até ao pescoço, mas enfio parte da carapuça.
Sou mais de perguntas e dúvidas...

Mas encontro-me nesta reflexão de Lyotard (ele próprio, um filósofo da pós-modernidade) e julgo que este “cepticismo intelectual” criticado, se aplica noutras “especialidades” (nos dois sentidos, para o crítico e para o criticado), desde os campos da religião até aos campos da política.

Sou mais de perguntas.
Vou percorrendo o caminho, embuído num pessimismo algo fadista, mas com recorrentes afloramentos dum optimismo estranho e seguro, que me está latente.
Acho que ascensão ao Céu não exclui ninguém, como informou em tempo um jovem carpinteiro palestiniano.
Só a cada um de nós, mónadas cósmicas, cabe escolher.

15.12.05
 
Contos do Além: Espaço

Space.com

E o tremer dos astros pelo Espaço,
mostra o Céu como uma árvore de frutos de luz,
que uma mão titânica brutalmente arrepelasse…

A composite X-ray (blue) and infrared (red and green) image of the supernova remnant W49B reveals a barrel-shaped nebula consisting of bright infrared rings around a glowing bar of intense X-radiation along the axis.
The X-rays in the bar are produced by 15 million degree Celsius gas that is rich in iron and nickel ions.
At the ends of the barrel, the X-ray emission flares out to make a hot cap.
A flattened cloud of hydrogen molecules detected in the infrared surrounds the X-ray cap.
These features indicate that jets of hot gas produced in the supernova have encountered a large, dense cloud of gas and dust.


14.12.05
 
A companhia de Jesus

Gamado do Abrupto , Cristo no deserto de Kramskoy

O espelho da espiritualidade russa permite ver um amor sofrente e atento: Deus fica para além dos areais da Dor, e é preciso atravessar o deserto…

Eu acredito que Jesus veio em testemunho de Deus.
Caminhante em passagem sobre a Terra, ser finito e em trânsito, mas que para ela trouxe uma medida do Céu, como medida sem medida – a que humanamente se chama o Impossível.

Também acredito que por isso mesmo, Jesus sondou a Infinita Solidão, sondou a Dor até ao ponto onde ela se transfigura em Imortal Alegria.

Deus é Homem e todo o "fanatismo" se esgota depois de passar Nele.

O Pai foi passado, o Filho é presente e o Espírito é futuro.

Estou-me nas tintas para os outros Universos, paralelos ou não…
Estou-me nas tintas para os filamentos dançantes, os cacos oscilantes de espaço-tempo, a que físicos sem elegância chamaram cordas…
Quero lá saber do Espaço, dos mundos que chocam em formidáveis dilúvios de fogo…
Quero lá saber dos sóis, das imensas fornalhas ardentes que vomitam farrapos de fogo maiores que os próprios mundos…
Quero lá saber das montanhas, dos dorsos corcovados dos planetas que não passam de granito sobre alicerces de poeira…

Só Ele é... e tudo quanto existe assenta na sua mão.
O seu Verbo é a minha força neste andar humano pelo Vale das Sombras.
Este é o meu Irmão e o meu Deus.
Ali estou eu...
Na companhia de Jesus.

E quero ser assim.

(feito com o Sampaio Bruno e o Leonardo Coimbra)
13.12.05
 
Choque em cadeia


Pensava que isto só acontecia com carros...
12.12.05
 



Nissan Pivo


Daihatsu UFE III


Mazda Senku


Chrysler Akino


Audi Shooting Brake


Honda "Feel Fine" concept
11.12.05
 
Lessons for fixing failed states: the need of glue
Um país dividido, com uma complexa engenharia política de duas entidades, uma sérvia, outra croata-muçulmana dividida em cantões, com 14 governos e uma autoridade tripartida, onde as mentalidades ainda funcionam com a psicologia de guerra.
Quando não conseguem chegar a acordo, Paddy Asdown (a quem chamam “crashdown”) decide e aceitam-no; mas sabem que tem força.


No terreno mantém-se uma força de 6.500 homens da União Europeia.
Se saíssem a luta poderia recomeçar; assim talvez a próxima geração possa finalizar o processo de adesão à União Europeia (a cola que faltava).


Não é bonito mas o pau (a força militar) e a cenoura (a riqueza, no caso a adesão à UE) parecem continuar a ser o único método que funciona... quando é possível.



How do you prevent failed states from becoming launch pads for terrorism?
How do you turn them into functioning democracies?
How do you intervene effectively to serve the citizens of those states and the citizens of the global community?
...
The poverty, lawlessness and political confrontation that were the immediate legacy of Bosnia's three-and-a-half-year war could have turned the country into a black hole, a staging post for transnational crime and terrorism, consigning its citizens to the status of pariahs.

Yet today Bosnia is a stable democracy with a growing economy about to begin negotiating accession to the European Union and ready to participate in NATO's Partnership for Peace.
It has passed through the gates that lead to Euro-Atlantic integration, moving from the era of Dayton to the era of Brussels.
What worked? Military force, judiciously applied.

A NATO-led force of 60,000 peacekeepers was deployed in the winter of 1995 to support the political settlement.
Troops on their own can't do the job, but political reconstruction can work only if supported by credible military capability.

Economic reforms undertaken preparatory to the launch of EU accession talks have produced major improvements in the business environment: The prospect of full integration in Europe has served as a powerful and popular incentive. Growth in gross domestic product this year is projected at 5.6 percent, the fastest in the Balkans.
Inflation stands at 0.5 percent, the lowest in the Balkans.
Foreign direct investment, industrial production and exports are all up.

I am not about to prescribe glib solutions for Iraq or Afghanistan or other failed states.
But Bosnia has worked.

This is a country that could have failed its own people and could have become an international economic and security liability.
Instead it is a stable and increasingly viable democracy.
Its lessons should not be ignored.

Paddy Ashdown, High representative of the international community for Bosnia-Herzegovina
(International Herald Tribune November 21, 2005)

10.12.05
 
War is only the sad recourse in the state of nature

Goya’s Disasters of War

Ontem no Público, Jorge Almeida Fernandes fez um bom artigo sobre o tema discutido no Lutz:

“A tortura tem um elevado potencial de corrupção.
Não se limita a provocar o sofrimento do prisioneiro, nega a sua condição de homem…
Por isso degrada também quem a pratica.”

Do ponto de vista moral, perdemo-nos a nós mesmos...

“É evidente que a tortura é uma forma, frequentemente eficaz, de recolha de informação.
Mas o resultado é geralmente perverso.
No caso argelino, os franceses ganharam a batalha e perderam a guerra.

A tortura e as rusgas colocaram definitivamente a população do lado da guerrilha.
Pior: a tortura e a brutalidade da repressão “lavaram” o terrorismo da FLN.”

Do ponto de vista político, perdemos o outro (inimigo hoje, não necessáriamente amanhã).

E isto fez-me recordar os artigos prévios “Para a Paz Perpétua” de Kant.

"No State shall, during War, Permit Such Acts of Hostility Wich Would Make Mutual Confidence in Subsequent Peace Impossible …

For some confidence in the character of the enemy must remain even in the midst of war, as otherwise no peace could be concluded and the hostilities would degenerate into a war of extermination (bellum internecinum).

War is only the sad recourse in the state of nature (where there is no tribunal which could judge with the force of law) by which each state asserts its right by violence and in which neither party can be adjudged unjust (for that would presuppose a juridical decision)."

Porque existe uma razão política (além da moral) que leva a cumprir uma ética de guerra.
Excluindo as de extermínio, as guerras são feitas na maior parte dos casos (dizem) para alcançar uma Paz.
Mas se os contendores perderem todos os escrúpulos, usarem todos os meios, transformam a luta numa espiral de ódio e comprometem definitivamente as possibilidades de Paz.

A mim, por agora, basta-me que Condoleeza declare que os USA seguem as regras e condenam a tortura.
Depois se verá... o que vai ficar em jogo é a já abalada credibilidade e o que poderá ficar em juízo público é a própria administração Bush.


Mas a América, se tem gente como Donald Rumsfeld, também tem gente como John Mc Cain, que contrariou a pretendida lei de excepção para a CIA, e isso faz muita diferença, isso só acontece em Democracia.

9.12.05
 
14/34 -Ineficácia

SCP

Sporting 0 Amadora 1
Alegrias: 17
Dores: 15

Liedson 6
Deivid 5
Rogério 2
Luis Loureiro, Douala, Nani, Beto, Carlos Martins 1

Liga Betandwin.com :(
1º. Porto 28 pts
2º. Nacional 27 pts
3º. Setubal, Braga 26 pts
5º. Sporting 24 pts


 
Da Violência

O objectivo óbvio e directo do emprego da Violência é destruir os adversários políticos ou colocá-los na impossibilidade física de agir com eficácia.

Têm esta função as guerras de extermínio, os genocídios, a eliminação da velha classe governante por parte de um movimento revolucionário, a expulsão dos opositores do território do Estado e todas as formas de reclusão e deportação para campos de concentração ou para lugares de desterro.

Muito mais comum é o uso da Violência não para destruir os adversários políticos mas para dominar a sua resistência e vontade.
Um caso muito particular é o da Tortura, caracterizado pelo facto de que a Violência é monopolizada apenas por uma das partes, que a emprega contra a outra parte indefesa.
Os carrascos, que torturam o conspirador caído na rede da polícia, submetem-no a uma violência crescente com o intuito de quebrar a sua resistência e de lhe extorquir os nomes dos companheiros de luta.

(Norberto Bobbio/ Nicola Matteucci/ Gianfranco Pasquino, Dizionario di politica UTET 1983)


Esta conversa num post do Lutz relativa à Tortura suscitou-me este outro sobre a Violência, porque é aí que está a raiz do problema.
Aquilo que nos repugna na Tortura, que não passa de um caso particular, é o uso de violência contra um adversário indefeso, o que na nossa cultura (não em todas) é definido como cobardia.
Acresce ainda que as tácticas de tortura levam a um crescendo de violência, que na nossa cultura (não em todas) é definido como crueldade.

Mas a raiz, repito, está no uso da violência; é quase impossível no Combate, quando um soldado mata o adversário já batido, não existir algo de cruel ou cobarde. Mas as hesitações em combate pagam-se com a morte.

Por outro lado, a própria ameaça de usar violência é aterrorizadora; em especial no caso do Terrorismo, quando se atacam civis indefesos (em autocarros por exemplo), configura-se aquilo a que poderíamos chamar uma “tortura social”.

Devo acrescentar que acho eticamente inaceitável, usarem-se dois pesos e duas medidas nas discussões sobre violência;
Mais condenável ainda do que o uso de tortura pelos USA (aliás negado e que deve ser denunciado quando for o caso) é o uso do terror claramente assumido pelos movimentos islâmicos radicais.
Só isso bastaria para ver mais claro e não nos mortificarmos, mas aí entra constantemente a estupidez da divisão esquerda/direita e o anti-americanismo primário da moda.


8.12.05
 
Benfica bring United to their knees

UEFA

"Koeman may still have much to do if they are to enter the hall of fame with Benfica's 1960s vintages, but in eliminating Manchester United they have at least one achievement to their name that even Eusébio and co could not muster." UEFA.com

O SLB venceu o Manchester United por 2-1, qualificando-se para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Ontem sim, vi o "Inferno da Luz" e uma nesga do Glorioso.
Parabéns lampiões.
 
Alguém sabe quem é?

Ornelas, il portoghese che non t’aspetti (Milano City Marathon 2005)

Powered by Blogger