<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
14.2.10
 
Corridas de automóveis em Portugal 2
Em 1903 foram importados 118 automóveis, contando-se já por centenas o parque nacional. É nesse ano, a 15 de Abril que se fundou, à semelhança do Automobile Club de France (o primeiro do mundo, nascido em 1895 da primeira grande prova automóvel) sob o patrocínio do rei Carlos, o Real Automóvel Clube de Portugal, antepassado do actual ACP. Organiza-se então, a 3 de Novembro uma segunda Grand Épreuve, o “Circuito da beiras” com partida e chegada em Coimbra, passando por Castelo Branco e pela Guarda (444 km). Foram proibidas inscrições a “chauffeurs” estrangeiros, pelo que venceu o português Tavares de Mello num Darracq.
Em 1904 organizou-se no jardim da Parada em Cascais uma primeira Gymkhana (que se tornaria moda nos anos seguintes), antepassada das futuras provas de perícia (vulgo, "tacos") concorrida por 11 veículos da “fina-flor” da época. Mesmo a calhar, veio a vencer a prova o infante Afonso de Bragança, o famoso “arreda” do reino.
Em 1905 foi vencedor da II Gymkhana de Cascais, Albert Beauvalet com o rei compondo o júri. E o RACP organizou a sua primeira Grand Épreuve (a terceira em Portugal) Lisboa-Caldas-Lisboa com 10 veículos inscritos, divididos por quatro classes de potencia, e classificados num critério de regularidade e não de velocidade pura. A classe maior (19/25 cavalos) foi ganha pelo mesmo Beauvalet em Peugeot e a menor (até 8 cavalos) por Francisco Martinho em De Dion Bouton (na imagem acima). A França dominava o nascente desporto automóvel, tanto em máquinas, como em condutores e organização; não por acaso, ainda hoje se situa na Place de la Concorde, em Paris, a sede da Federation Internationale de l’Automobile (FIA). Uma outra espécie de Grand Épreuve em 1905, foi a excursão europeia entre Lisboa, Paris, Viena, e Istambul (40.000 km), que demorou de Agosto a Abril do ano seguinte, com a participação de uma equipa nacional composta por D. António Borges de Medeiros, Augusto D’Ornelles Bruges e Joaquim Correia como “chauffeur”.

Etiquetas: ,


Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger