<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
29.8.07
 
Strangeness 2
Através dos quadros mandados para a exposição torna-se evidente que alguns homens vêem as coisas diferentes do que elas são.
Existem homens que sentem que os prados são azuis, o céu verde e as nuvens amarelas…
Ou os artistas vêem as coisas realmente desta maneira e acreditam naquilo que elas representam, o que nos obrigará a perguntar como surgiu o defeito na sua visão.
Se for hereditário, o Ministério do interior terá de fazer com que este defeito horrível não se perpetue.
Se não acreditam na realidade de tais impressões, mas tentam impô-las a uma nação, então será assunto para tribunal criminal.


Adolf Hitler na inauguração da Casa da Arte Alemã em 1937

Chamem-lhe fascista ou outra coisa qualquer que vos apoquente.
Mas isto, corresponde a uma mentalidade corrente desde sempre.
Hoje, talvez menos nalguns domínios, nalgumas culturas, mas permanece noutros e noutras.
É permanente no humano e tem origem no medo.
A aspiração à "pureza" e o fecho a tudo o que diverge (degenera, diziam) daquilo que é dito "normal".

Eu chamo-lhe a mentalidade da "estranheza"; estranha tudo... tudo o que arrisca para lá da linha pré-estabelecida.
Depois ainda há aqueles que nos mandam.
Esses também não apreciam lá muito quem sai da linha.
Deixa de ser fácil de manipular.

Etiquetas: ,


Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger