<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
29.6.07
 
A boca

A boca não era boca que sugerisse beijos ou comida.
Não era boca de falar, de formar palavras, de cumprimentar.
Não, era antes a boca do próprio sexo da mulher, tinha a mesma forma, movia-se da mesma maneira – para nos atrair, para nos excitar, sempre húmida, vermelha e viva como os lábios de um sexo que se acaricia…
Cada movimento daquela boca tinha o dom de transmitir igual movimento, igual ondulação ao sexo do homem, transmissão feita como que por contágio directo e imediato.
Quando ela se movia, qual vaga prestes a enrolar e a tragar alguém, ondas iguais abalavam o pénis e o próprio sangue.

(Anais Nin, Little birds 1979)
Comments:
Esta sequência de posts, modernidade vs beleza do corpo, fazem lembrar-me o depoimento de Manoel de Oliveira sobre Agostinho da Silva, nos DVD's que o jornal O Público reeditou com as entrevistas na 2.
A determinada altura, Manoel de Oliveira, pergunta-se e pergunta-nos:
"
Entre ter beleza ou inteligência, o que é melhor?
"
Responde ele com algo do género:
"É a beleza"

Seres inteligentes, podem de facto destruir a beleza, o contrário parece-me improvável.

Estás em grande forma cbs, em grande forma.

Parabéns!
 
É verade, em grande forma...
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger