<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
20.4.07
 
Do ponto a meio caminho

RalphGibson1961

Sei que a expressão “chegar a um acordo, a um compromisso” tem uma reputação terrível nos circuitos idealistas europeus, especialmente entre gente jovem.
O acordo é concebido como falta de integridade, falta de directriz moral, falta de consistência, falta de honestidade.
O compromisso empesta, comprometer-se a chegar a um acordo é desonesto.

Não no meu vocabulário.
No meu mundo, a expressão “chegar a um acordo, a um compromisso” é sinónimo de vida. E onde há vida há compromissos estabelecidos.
O contrário de comprometer-me a chegar a um acordo não é integridade, o contrário de comprometer-me a chegar a um acordo não é idealismo, o contrário de comprometer-me a chegar a um acordo não é determinação.
O contrário de comprometer-me a chegar a um acordo é fanatismo e morte.
(…)
E quando digo acordo não quero dizer capitulação, não quero dizer dar a outra face ao rival ou a um inimigo (…), quero dizer procurar encontrar-me com o outro em algum ponto a meio do caminho.
E não há acordos felizes: um acordo feliz é uma contradição.
Amos Oz, Contra o fanatismo, Público-ASA 2007


Comments:
Excelente texto!

Realmente é muito difícil largar a própria visão/razão e deixar que surja uma nova no tal "ponto a meio do caminho".

"E não há acordos felizes: um acordo feliz é uma contradição."

Talvez feliz não seja o acordo mas o que resulta daí. Talvez a felicidade venha depois...
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger