<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
13.4.06
 
O Costin Nathan GT 1967
Frank Costin desenhou o chassis e a carrosserie, Roger Nathan preparou o motor Hillman IMP em que era especializado.
O mais notável na carrosserie era a monocoque central construida em madeira, o que dava uma rigidez e leveza semelhantes ao alumínio, mas por um preço muito inferior.
As duas pontas (frente e traseira) compunham-se estruturas tubulares de aluminio, sustentando a suspensão, travões e o motor em posição central. A aerodinâmica era também muito bem tratada.
Nathan forneceu o motor de 998cc, com duplos carburadores Webber, debitando 100 cv (100 cv/litro era excelente na época).
O pequeno protótipo, pesando menos de 400Kg, apareceu em 1966 nas corridas de Brands Hatch; correu seis vezes nesse ano resultando cinco vitórias e um segundo; práticamente imbatível na classe.
A primeira versão era aberta (spyder) e construiu-se depois uma com capota (denominada GT) para Roger Nathan correr as 24 Horas de Le Mans 1967.
Até à separação os dois sócios construiram 6 spyders e 6 GT; depois Nathan produziu mais 18 GT, nunca conseguindo a homologação em Grande Turismo.

Um belo Costin-Nathan GT restaurado pela Equipe Europe que correu a Le Mans Classic em 2002;
O extraordinário motor do Imp merecia um carro de corrida assim.

Tal como o irmão Mike Costin dera o nome "Cos" para o projecto com Keith Duckworth, o motor Cosworth, Frank Costin (1920-95) deu o seu para o nome Marcos e em seguida para o Costin-Nathan de 1965.
Costin era uma autoridade em aerodinâmica, tendo desenhado planadores (em madeira) para a Havilland durante a II guerra mundial.
Depois da guerra fez as carrosseries de vários Lotus (o Elite por exemplo) com Colin Chapman, antes de começar a produzir o Marcos.


Roger Nathan
(1943-...) criou fama como piloto correndo em Inglaterra com o Lotus Elite nos anos 60; depois foi um dos melhores preparadores de Hillman IMP, continuando a correr com sucesso na formula junior (um Elva comprado a Ecclestone em 1963) e nos "saloon cars" com IMP.

Em 1965 com Frank Costin criou o Costin-Nathan.

Etiquetas:


Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger