<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
16.6.05
 
A primeira vitória da Ferrari (1951)

Silverstone, 14 Julho 1951 - Froilan Gonzalez (Ferrari 12) no seu estilo truculento comanda Juan Manuel Fangio (Alfa 2) e Luigi Villoresi (Ferrari 10)

Para o primeiro Campeonato do Mundo de Condutores em 1950 pontuaram sete provas, das quais na realidade só sete contaram, pois nenhum europeu correu a Indianapolis (G.P. USA) e vice – versa.
Nos seis “Grand-prix” que interessam, a Alfa Romeo venceu tudo; com Fangio no Mónaco, Bélgica (Spa) e França (Reims); com Farina (campeão) em Inglaterra (Silverstone), Suiça (Bremgarten), e Itália (Monza).

Em 1951 esse domínio acabou.
A Ferrari tinha entrado em liça, alinhando regularmente três “375” para Villoresi, Ascari e o argentino Gonzalez.

Nas primeiras três provas a Alfa ganhou; Fangio na Suiça e França (aqui dividindo com Fagioli) e Farina na Bélgica.

Mas no dia 14 de Julho de 1951 em Silverstone a filha (Enzo Ferrari, formara-se na Alfa como mecânico e piloto) feriu de morte a mãe.
Bonetto (Alfa) arrancou na frente mas foi ultrapassado por Gonzalez (Ferrari) logo na primeira volta.
Na 10ª volta Fangio (Alfa) passou Gonzalez e apartir daí a luta com tornou-se titânica:

"When Fangio caught me in the 10th lap I let him overtake, placing myself directly on his tail.
We traveled in tandem, our two cars seeming to be roped together.
Even when he increased speed we remained like this, driving like men pursued by the Devil himself."

No fim, Gonzalez retomou a liderança e, aguentando todos os ataques de Fangio, venceu um G.P. de Inglaterra, com 51” de vantagem (média de 154 km/h), um Grand-Prix que ficou na história da fórmula um.

El Cabezon (José Froilan Gonzalez) ou o "Touro das pampas", compatriota de Fangio, outra vez em Silverstone, 17 de Julho de 1954, para mais um GP Inglaterra.
Além da cabeça grande, Gonzalez tinha o pé direito muito, muito pesado e ganhou de novo nesse dia (Klemantasky Collection)

Nas duas corridas seguintes, Alemanha (Nurburgring) e Itália, a Ferrari continuou a ganhar com Ascari.
Apenas no último Grand-prix (Espanha/Pedralbes) Fangio conseguiu ainda uma vitória, vencendo à justa o campeonato para a Alfa Romeo.
Mas a poderosa fábrica de Milão chegara ao fim da linha.

Anunciou o abandono da competição, deixando campo livre à jovem marca de Maranello.

Etiquetas: , ,


Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger