<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
10.5.05
 
A evolução da Fórmula Um ( 6 )

Brabham BMW BT52 (1983)

A extraordinária velocidade em curva dos “carros-asa”, não permitia correcção em caso de avaria das saias móveis; e quando o "efeito de solo" desaparecia, a força centrífuga substituía-o colocando o carro na paisagem com uma violência inaudita.
O risco de segurança levou então, mais uma vez, à alteração das regras: proibição das saias e fundo plano obrigatório.


E as limitações na aerodinâmica, vão acentuar a busca de potência que se vinha desenvolvendo com o regresso da sobrealimentação (abandonada desde os Alfettas dos anos cinquenta).

Os motores Turbo tinham sido introduzidos pela Renault em 1977, segundo a fórmula de equivalencia, 3,0 litros (alimentação aspirada) para 1,5 litros(alimentação comprimida) mas, por uns tempos, não passaram de uma brincadeira pouco fiável.

Só em 1981 quando a Renault começou a vencer, seguida pela Ferrari, superando a potência e fiabilidade dos velhos Cosworth DFV aspirados, se tornou evidente que o futuro estava ali. E todas as equipas se viraram para os turbos sendo a BMW a estabelecer um marco tecnológico com o
quatro cilindros, o primeiro motor turbo-comprimido a ganhar um título mundial, com Nelson Piquet em 1983.

Nunca na história um motor de 1,5 litros chegara aos 1.500 cv (na versão de qualificação) deixando bem atrás os V8 e V12 aspirados.



(fonte BBC Motorsport )

Etiquetas: , ,


Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger