<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
29.4.05
 
Opinião

Example

Os meus livros da 4ª classe, não foram marcados pela castrante ditatura de direita, do Dr. Salazar. Pertenço à chamada geração rasca, que nasceu e cresceu da e com a Revolução.

Para mim, talvez por ser obstinadamente de esquerda, a direita e os seus ideais são-me estranhos. Admito que se trata de uma falta de abertura de espiríto da minha parte, até porque as direitas, não são todas iguais.

O 25 de Abril, representou para a sociedade portuguesa o fim de enormes desigualdades sociais, que permitiu conferir benefícios imediatos à grande maioria da população e alargou o consumo de massa, bem como a base de reprodução da economia. Ou seja, criaram-se um conjunto de dispositivos que configuram o Welfare State.

Mais importante, garantiu a liberdade.


A partir desse dia, todos os portugueses abriram as janelas e respiraram.

Para mim, esquerda está associada a Abril, embora pense que esta esquerda tenha vindo progressivamente, a perder a memória do período revolucionário e dos seus ideais.

Etiquetas:


Comments:
Tenho para mim que rasca é a causa e não a consequência e, portanto, não acho que a tua geração seja rasca, alguém vos construiu e, vá-se lá a saber porquê..., chama rasca ao output. Um beijo, IO.
 
Viva a esquerda e tudo o que ela representa de mais "culto" e tudo o que trouxe e tudo o que prometeu e que nos compete cumprir. Nada resistirá à Luz.Boa?
 
O post anterior já tinha dado para ver (+ou-)a "área" etária. Afinal ainda me resta alguma perspicácia.
Discordo que a sua geração seja rasca. Sou pai de duas jovens dessa geração e sei do que falo.
O autor dessa qualificação, jornalista brilhante, foi muito redutor, talvez pudesse ter recuado uns anitos...
Além do mais quem "cria" um post como este, é tudo, menos da geração rasca.
 
JRD
Agradeço o comentário.
Os trinta trazem alguma (pouca) sabedoria.
 
mendes ferreira
A luz está do nosso lado.Boa!
 
Qual luz?
A do dia, a da razão ou a da lâmpada que foi iluminando os oportunistas desde então ?!!
Deixando ficar p/ tras as grandes máximas abrilescas...o pão, o trabalho, a habitação..., nunca o país esteve tão carente de reflectir s/ esses "refrões" q pareciam já ultrapassados e a cheirar a môfo!
E não são os discursos "bloquistas" regados com
champanhe q resolvem este essencial...
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger