<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
13.1.08
 
Uma história de amor fátuo
Estava só, num deserto.
Avistei uma caravana aproximar-se, cruzando-se no meu caminho.
Este era um comerciante, cheio de coisas vistosas, apetecíveis, excitando o meu lado consumista.
Claro que as primeiras coisas que me mostrou foram as melhores, dos seus segredos, aquelas com que a todos encanta. Estava realmente cheio de bugigangas.
Cinco meses... precisou ele para me mostrar tudo o que tinha. Aos poucos, percebi que até as coisas encantadoras, só passavam pela aparência.
Mas... roubou-me o quê?
Meu tempo... meu coração... minha cabeça... meu corpo... meus olhos... minha saúde... minha paciência... e ainda lhe comprei algumas peças que me mostrou no princípio, sem ainda lhes ter pegado, onde me endividei... Ao fim de 5 meses, sabendo ele que nada me iria vender, desistiu e começou a arrumar as coisas de volta na caravana.
Com todo o cuidado, fiquei, e perdi mais esse tempo, sabendo que nada lhe iria comprar... ajudando-o a embrulhar aquelas misérias todas de volta, na caravana... como se nada tivesse passado, ao fim desse tempo, ficamos os dois a olhar um para o outro. Aos seus olhos, disseram os meus "Aceito".
E deixei-o passar...


Condensado de uma menina que levou com um tsunami em cima, e sobreviveu porque os teve no sítio.(aqui)

Etiquetas: , ,


Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger