<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
19.6.07
 
A quinta-essência da liberdade
Thierry Marchal
O pintor sentou-se, misturando as cores e ao mesmo tempo falando das putas que mais o tinham excitado.
"Prefiro uma puta a qualquer outra mulher porque sinto que ela não se vai colar a mim, amarrar-me para o resto da vida.

Dá-me uma sensação de liberdade.
Não tenho a obrigação de fazer amor com ela.
A única mulher que porventura me deu um prazer igual a esse foi uma que era incapaz de se apaixonar, que se entregava como uma puta, que desdenhava dos homens a quem se dava.
Já tinha sido puta e era mais frígida que uma estátua.
Os pintores haviam-na descoberto e feito dela um modelo.

Era um modelo magnífico.
A quinta-essência da puta"

( Anais Nin, Little birds 1979)
Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger