<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
20.2.07
 
In hoc signo vinces
Quando Ele saía para se pôr a caminho, aproximou-se um homem a correr e, caíndo de joelhos diante d'Ele, fez-lhe esta pergunta: Bom Mestre, que hei-de fazer para alcançar a vida eterna?
Então Jesus, fitando nele o olhar, sentiu afeição por ele e respondeu-lhe:
Uma coisa te falta; vai vender tudo quanto tens, dá o dinheiro aos pobres, e terás um tesouro no Céu!
Depois vem e segue-me.
(Marcos 10, 17-21)

O que conta não é que Ele tenha existido, ou quem terá sido.
O que conta é que Alguém lançou o apelo, um Homem irredutível que disse as palavras de um Amor radical, o da dádiva absoluta, e que essas palavras fundamentais ainda ecoem por aí como radiação fóssil de um outro "big bang" , lembrando e envergonhando (não, eu não tenho a coragem de o seguir).
Alguém disse o Sermão da Montanha, e não foi um conceito, uma construção ética, nem um ser inatingível caído do céu; foi mesmo um Humano.
Agora ponham-lhe o nome que quiserem, mas não me lembro é de, antes, alguém ter dito "bem aventurados os pobres de espírito". Tocou-me e basta.


Comments:
Eu também gostaria de ter coragem de O seguir.

abraço
 
O único nome que lhe posso chamar é Cristão. E é um belo nome.
 
A most remarkable human being indeed. So many people, think of themselves as Christians, in theory, but when it comes to practicing? It's the practice, that always traps those of us mere humans that cannot live up to be remarkable. I do not associate myself with any religion, because so many atrocities have been committed in their name. I TRY to live by only one motto "do onto others as you would have them do onto you". Do I always succeed? I am not a remarkable human being...
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger