<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
20.12.06
 
Persuasão em vez de dissuasão

A maior parte dos leitores do relatório (Baker-Hamilton) parte do princípio de que ele se destina ao presidente Bush.
Mas não é verdade.
Tem prioritáriamente como alvo o Congresso, em especial as novas maiorias democratas das duas câmaras.
Não tem por objectivo convencer um presidente teimoso a admitir a derrota, mas a persuadir os deputados de que uma retirada do Iraque está fora de questão.
Os outros leitores visados pelo relatório são os governos árabes de todo o Médio Oriente.(perante uma catástrofe absoluta, nenhum governo àrabe, nem mesmo a Síria, se sentirá em segurança, excepção feita ao regime xiita persa)
A mensagem é a mesma: têm tudo a temer de uma saída dos norte-americanos da região.
(...)
Afinal o texto diz claramente "deixar o Iraque", não é? Falso.
Foquem as outras recomendações do relatório:
- o número de efectivos militares norte-americanos integrados nas brigadas das Forças Armadas Iraquianas deveria passar de três para dez a vinte mil.
- o numero de formadores norte americanos na policia devia aumentar.
- O Ministério da Justiça norte-americano devia encarregar-se da reorganização do Ministério do Interior iraquiano.
- O Iraque tem necessidade de um consultor de alto nível para a reconstrução económica.
- O Departamento de Estado devia formar pessoal capaz de se encarregar das missões civis ligadas à complexa operação de estabilização.
É isto deixar o Iraque? A mim faz-me antes pensar "ficar no Iraque".
Só que desta vez, sabendo-se o que se está lá a fazer.
(...)
Estamos na presença de uma obra de persuasão digna dos clássicos.
O público visado foi seleccionado.
O pior cenário é plausivel.
E as recomendações estão tão hábilmente formuladas que parecem apelos á saída, quando são sinónimo de um melhor envolvimento.

Niall Ferguson,in Courrier Internacional, 15 Dez 2006
Comments:
Ler isto assim, claro e frio, simples e exactamente dirigido "à ferida" leva-me a pensar que, logo hoje e logo agora que aqui me deixava parar a gritar p'ra dentro isto de estar cansada do que me obrigo a fazer... é tão nada quando comparado com a "coisa" séria que aí está a acontecer. tsctsctsc...
Também é por isto, por esta coisa de tanta gente se ausentar, que a catástrofe (todas elas, e desde sempre) se dá. E demasiado gente a menos está atenta ao que por cá se passa, não é?!

Obrigada por mais uma chamada à realidade, cbs. :)

(acabadinha de chegar do Pé de Meia... convenhamos, isto sim é o verdadeiro choque de realidade! não o que andava a escrever nos meus arranjos de teses!) ;)
 
Terrivel esta situação.
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger