<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
17.11.06
 
Morreu um Mestre


A noção de Bem em sentido moral incide directa ou indirectamente sobre acções, omissões ou intenções.
Tal noção insere-se na esfera prática da actividade humana.
Importante ter presente que, se a definição de bem não foi construída do ponto de vista da noção de mal, a definição de mal foi construída do ponto de vista da noção de bem.


O que caracteriza o bem é a possibilidade de ser algo que todos desejem que possivelmente ninguém indeseje no plano dos valores práticos.
Desejar o bem é o princípio positivo da Benevolência.
Indesejar o mal é o princípio negativo da Benevolência.
Se desejar o bem é Benevolência, fazer o bem é Beneficência.
Se desejar o mal é Malevolência, fazer o mal é Maleficência.
Há circunstâncias em que a omissão vale como ato de beneficência positiva ou como ato de maleficência positiva:
- abster-se de exercer o direito de causar dano é beneficência positiva
- abster-se de cumprir o dever de prestar ajuda é maleficência positiva.



Ser justo é agir conforme o tipo de igualdade ou desigualdade seleccionado como dever comparativamente e na situação dada.
Tratar da mesma maneira o que é semelhante e de maneira diferente o que é dissemelhante.
Eis, em primeira aproximação, a idéia que no conceito de Imparcialidade se quer exprimir.
A imparcialidade não benévola pode ser ou não moral ou malévola.

Imparcialidade não moral é, por exemplo, a que exprime indiferença, a que traduz aleatoriedade (mediante sorteio ou de outra forma de randomização), a que emerge de sistemática neutralidade.
A imparcialidade malévola consiste, por exemplo, em tratar da mesma maneira, materialmente injusta, o que é factualmente semelhante.


Mário Sottomayor Cardia in "Ética I - Estrutura da Moralidade" Ed. Presença, 1992

A sua sombra ilustre passeou na terra dos homens, condenando com talento a arrogância dos fanáticos.
Hoje foi-se para as regiões do Cimo...
Comments: Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger