<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
15.8.06
 
Still about double vision

www.lolfunny.com

Porque se subscrevo o “inalienável direito” do povo da Palestina a “livremente se autodeterminar”, subscrevo igualmente o direito à existencia do estado de Israel dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas, e não posso subscrever que qualquer outro estado, autodeterminado que seja, tenha como objectivo assumido a sua liquidação;

Se subscrevo a condenação explicita do “terrorismo de estado” (assassínios selectivos, raptos, demolições), não subscrevo que atentados suicidas indiscriminados em autocarros, mercados ou festas de casamento em Israel fiquem pudicamente “implicitos” na vaga condenação de “todas as outras formas de terrorismo” (porque me interrogo: considerarão os abaixo assinantes isso terrorismo? Ou entenderão que são só acções de “autodefesa”?);

Se subscrevo a existencia de um estado Palestiniano soberano sobre todas as parcelas do seu território ocupadas por Israel – como subscrevo um estado Libanês soberano sobre todas as parcelas do seu território ocupadas por um “partido de Deus” apostado na liquidação de um estado vizinho – subscrevo ainda que esse estado, se não for pedir muito, seja um estado respeitador das liberdades individuais, a liberdade religiosa, a de expressão, a de opinião, a igualdade de género, o simples direito à felicidade terrena e não tão só à bem-aventurança obtida pelo “martírio” fazendo-se explodir no meio dos “infiéis”.
(Manuel António Pina, in Visão 10 Agosto 2006)

Subscrevo... integralmente!

Comments:
Eu nem suscrevo o "quadradismo" religioso nem o Político. Mas isto sou. Disso tudo nâo entendem crianças, e sâo, precissamente elas, as primeiras vitimas.
 
Felizmente, o Pina.
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger