<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
15.3.06
 
O Banquete da Natureza

Um homem que nasce num mundo ocupado, se não lhe é possível obter dos seus pais os meios de subsistência… e se a sociedade não tem necessidade do seu trabalho, não tem direito a reclamar a mínima parte da alimentação e está a mais.

No grande banquete da Natureza, não existe talher disponível para ele, a Natureza diz para ele se ir embora e não tardará a executar esta ordem salvo se recorrer à compaixão de alguns convivas do banquete.

Se estes se apertam para dar lugar, outros intrusos se apresentarão reclamando os mesmos favores. A notícia de que existem alimentos para todos enche a sala de numerosas pessoas.
A ordem e a harmonia da festa são perturbadas, a abundância que reinava anteriormente transforma-se em fome, a alegria dos convivas é aniquilada pelo espectáculo da miséria e da penúria que reinarão em todas as partes da sala e pelos clamores inoportunos daqueles que estão furiosos por não encontrarem os alimentos que lhes tinham prometido.

Thomas Robert Malthus, An Essay on the Principle of Population, as it Affects the Future Improvement of Society with Remarks on the Speculations of Mr. Godwin, M. Condorcet, and Other Writers, London 1798


Comments:
É a lei do mais forte...!!??
 
este parágrafo de Maltus causou muita polémica no século XIX.
Mas vejo aqui apenas realismo, é uma constatação, não é uma intenção.

Mas vejo aqui a raíz da problemática humana; as consequencias do sucesso humano, recomendam, ontem como hoje:
- economia e partilha dos recursos
- controlo do saldo demográfico
- controlo dos desequílibrios ecológico

Abraços Tr
 
Sim, a lei do mais forte.
Mas existe uma diferença entre os animais ditos racionais e irracionais.
Os irracionais, não açambarcam, não armazenam para venderem. Os mais fortes, alimentam-se, e quando estão satisfeitos deixam os outros comerem.
Com os racionais, criam-se stocks, onde se armazenam quantidades para venda, tendo como principal objectivo o lucro e não saciar a fome de outro.
 
Pintura Magnífica!
De quem é?
 
Jack Vettriano, e é excepcional sim.
Dê uma vista de olhos em
http://www.vettriano-art.com/
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger