<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
20.2.06
 
As time goes by


Conheci Rick Blaine em Paris, não faz muito.
Ele tem uma espelunca perto da Madeleine que pega todos os americanos bêbados que o Harry’s Bar expulsa.
...
Os olhos empapuçados são os mesmos mas o cabelo se foi e a barriga só parou de crescer porque não havia mais lugar atrás do balcão.
A princípio ele negou que fosse Rick.
- Não conheço nenhum Rick.
- Está lá fora. Um letreiro enorme. Rick’s Café Americain.
- Está? Faz anos que não vou lá fora. O que você quer?
...
- Sempre quis saber o que aconteceu depois que ela embarcou naquele avião com Victor Laszlo e você e o inspetor Louis se afastaram, desaparecendo no nevoeiro.
- Passei quarenta anos no nevoeiro - respondeu ele.
Objetivamente, não estava disposto a contar muita coisa.

- Eu tenho uma tese.
Ele sorriu.
- Mais uma...
- Você foi o primeiro a se desencantar com as grandes causas. Você era o seu próprio território neutro. Victor Laszlo era o cara engajado. Deve ter morrido cedo e levado alguns outros idealistas como ele, pensando que estavam salvando o mundo para a democracia e os bons sentimentos. Você nunca teve ilusões sobre a humanidade.
Era um cínico.
Mas também era um romântico.
Podia ter-se livrado de Laszlo aos olhos dela.
Por quê?
- Você se lembra do rosto dela naquele instante?
Eu me lembrava. Mesmo através do nevoeiro, eu me lembrava.
Ele tinha razão. Por um rosto daqueles a gente sacrifica até a falta de ideais.
A porta se abriu de novo e nós dois olhamos rápido.

Mas era apenas outro bêbado.

Luis Fernando Veríssimo "A velhinha de Taubaté"
Comments:
Parabéns pelo Sporting.

O Veríssimo é daquelas pessoas que têm mil histórias, mas a grande questão é que as histórias contadas por ele são absolutamente fabulosas. Deve ser lembrado e conhecido. Eu, que sou muito selectiva em relação ao Brasil, reconheço que este senhor é um grande senhor!! Excelente post!!
 
:)
Sim Tr.
Eu já tinha reparado nele mas não explorara os sites a sério.
O homem é fabuloso (especial nas short stories) e polivalente, tanto desenha como escreve.

só agora lhe dou o valor...
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger