<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
12.8.05
 
Para a Paz (Perpétua) 4: Os Guerreiros Permanentes

As SS recrutaram em toda a Europa. Havia uma legião por cada país ocupado.

Standing Armies (miles perpetuus) Shall in Time Be Totally Abolished.
For they incessantly menace other states by their readiness to appear at all times prepared for war;
For this reason, the cost of peace finally becomes more oppressive than that of a short war, and consequently a standing army is itself a cause of offensive.
But the periodic and voluntary military exercises of citizens who thereby secure themselves and their country against foreign aggression are entirely different
.
(Third preliminary article for perpetual peace among states, Emmanuel Kant 1759)

Até ao séc. XV os reis iam às terras dos seus vassalos, pedir homens que se juntassem ao exército do rei (arregimentar tropas).
Os camponeses largavam o arado e pegavam na espada, mas não eram soldados profissionais, a guerra não era o seu modo de vida.
Depois da guerra pousavam as espadas e pegavam de novo no arado (desmobilização).

A partir do séc. XV na Itália de Maquiavel nasceram os Condottieri, chefes de guerra cuja vida era a conquista, com exércitos de mercenários profissionais pagos com o saque; essa gente vivia da guerra, e quando em Paz ficava sem trabalho; como resultado havia sempre guerras.

Kant só admite a guerra de defesa (a legítima defesa); se todos apenas se defendessem não haveria guerras.

Critica a utilização de mercenários, como tem acontecido em África e até no Iraque com os USA.
Sugere o abandono do recrutamento permanente, como na Prússia, substituindo-o por exércitos de cidadãos, o modelo Suíço.


Na Suíça, quando um cidadão chega aos vinte anos, é obrigado a 15 meses de treino militar e regressa à sua vida. Depois, durante os 32 anos seguintes frequentará duas semanas de treino militar anual.
Há 500 anos que a Suíça vive em paz, com um poderoso exército de defesa; aliás a Suíça não tem, “é um exército”, um exército de 400.000 homens (6 milhões de habitantes).

Mas não serviria para projectar força, não está adaptado para isso.

O terceiro obstáculo à Paz verdadeira está pois no sustento de Guerreiros Permanentes: Os exércitos permanentes (de recrutamento) devem desaparecer com o tempo.

Comments:
Desfardar a guerra é vestir a Paz.
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger