<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
31.10.05
 
Sentences on Conceptual Art 22

Sol Lewitt 2001 wall

The artist cannot imagine his art, and cannot perceive it until it is complete.
(Sol Lewitt 1969)
 
Grand Prix de France 1953


I find this a most difficult report to write.
But it can go on record that Mike Hawthorn's (16) magnificent victory by one second over the champion Juan Manuel Fangio (18) crowned a neck-and-neck, wheel-to-wheel duel for the last half of the race, and gave the shouting spectators what is probably the finest Grand Prix ever run anywhere at any time.

I shall not attempt to describe the final laps.
The whole thing was fantastic.
The crowd was yelling, the commentators were screaming.
Nobody paid much attention to the rest of the drivers at all, and the drivers themselves slowed up to watch this staggering display.
On the final lap again they shot round nose-to-tail, and it was the Englishman who brought the Ferrari over the line.

Hawthorn's ovation was like the roar one hears at the end of a great maestro's concert - and today Hawthorn was a maestro.


Grand Prix History
30.10.05
 
9/34 - Segunda parte traíu o leão

SCP

Boavista 2 Sporting 2

Alegrias: 12
Dores: 13

Liedson 4
Deivid 3

Rogério, Luis Loureiro, Douala, Nani, Beto 1

Liga Betandwin.com :(
1º. Braga 20 pts
2º. Porto 18 pts
Nacional 18 pts
4º. Benfica 16 pts
5º. Sporting, Boavista, Rio Ave, Setubal 14 pts


 
CONTO DA AUSENCIA
Bach Elvira
Descomponho musicalmente um baralho de cartas,
porém, não encontro a sequencia melódica para te reencontrar...

Os trunfos são copas, oiros, espadas aguçadas,
resultando em emoções descoordenadas,
paus trilhados no quarteirão do vazio.

De longe avisto o rio.


29.10.05
 
The big mule


Bernie Ecclestone tem 75 anos e tornou-se milionário ( a oitava fortuna no Reino Unido) com o negócio da Formula Um.
Esta eminencia parda possui 25% da Slec Holdings (do nome da sua mulher Slavica) baseada em Jersey e que controla o Campeonato do Mundo com a Federação Internacional do Automóvel (FIA).

Enfrenta hoje uma revolta dos business partners (Bayerische Landsbank/ Lehman Brothers Holdings/ JP Morgan Chase que representam 75% do capital) e chefes de equipas que querem acabar com o seu domínio de 25 anos sobre este desporto.

Em 1971 comprou a equipa Brabham e com Nelson Piquet conquistou dois campeonatos do Mundo (1981 e 83).
Mas começou a construir o seu poder em 1972 quando fundou a Formula One Constructors Association (FOCA) da qual foi nomeado administrador executivo em 1978, aumentando depois progressivamente o controle sobre o desporto.
Em 1981 os construtores associados entregaram a Ecclestone a negociação dos direitos de transmissão pela Televisão, que ele negociou como um pacote único.
De uma dúzia de GP nos anos setenta o Campeonato do Mundo passou para os actuais 19.
Ecclestone comprou autódromos e negociou contratos a prazo; passou a haver permanentemente uma procura a exceder a oferta de calendário, e aqueles em que falha algo são logo substituídos, como aconteceu ao Estoril.


Em 1990 começou a negociar direitos de exclusividade com uma só Televisão em cada país (só na Europa foram 32), e o negócio ultrapassou em valor os Jogos Olímpicos e o Mundial de Futebol.
A Formula One Administration Ltd recebe todos os direitos comerciais do Campeonato do mundo indo 53% para a FIA e 47% para os construtores.
Em 2002 tirou um lucro de 126.000.000 U$ de uma receita de 642.000.000 U$.
A Formula One Management Ltd, uma segunda empresa que apenas gere a Formula Um apresentou um prejuízo de 37.000.000 £ numa receita de 50.000.000 £.
Ambas a companhias são da Slec Holdings, detentora dos direitos comerciais.
Nesse ano Ecclestone recebeu das duas empresas da Formula Um 2.700.000 U$.

Montezemolo, o presidente da FIAT pretende que as equipas dupliquem a receita entregue pelas empresas para 80% (em vez dos actuais 43%), para fazer face ao aumento dos custos.
Ecclestone e a FIA com Max Mosley, pelo contrário querem reduzir os custos e manter as receitas.
Se não for alcançado um acordo até 2008, as quatro grandes (FIAT-Ferrari/ Daimler Chrysler-McLaren/ Toyota/ Renault/ a Ford já saiu vendendo a Jaguar à Red Bull) ameaçam fazer o seu próprio campeonato.

A crise tem como principais factores:
- Os custos que sobem exponencialmente porque, para se manterem competitivas, as equipas mais fracas tem de tentar acompanhar os investimentos maciços em desenvolvimento com que as equipas grandes, lideradas pela Ferrari, as esmagam.
- A baixa de receitas agravada pela proibição da publicidade ao tabaco (na Europa) o que representa 25% (250.000.000 U$) das receitas comerciais da Formula Um.

 
CONTO DA AUSENCIA
A K Dolven
Cavalgo ondas de cor vermelha,
e anulo o que fui.
Se a beladona fosse um flor verdadeira,
deparar-me-ia com uma bandeira
que não sinaliza-se perigo
mas sim,
o poder estar sempre em paz comigo mesma
e contigo!


28.10.05
 
América! o que foste e o que és...


"The worst survived, that is, the fittest; the best all died" Primo Levi

Começo por dizer que respeito e admiro a grande nação da América.
Mas há pouco tempo, uma história antiga fez-me pensar.
Primo Levi, sobrevivente dos campos de concentração, conta um episódio marcante.

A finalidade das SS era a desumanização das pessoas, fazendo-as regressar à condição animal;
os prisioneiros eram “unter menchen” (sub humanos).

Mas um dia, surgiu um cão no campo dos condenados.
E esse cão, era o único ser que reconhecia nos judeus seres humanos.

Aos internados no campo, aquele bicho ajudou a viver durante uns tempos;

Como viam nele o fascínio da Liberdade, o sonho de uma nova oportunidade, chamaram-lhe América.
Claro que quando os guardas se aperceberam, abateram-no.

Pois hoje, a lógica americana do investimento maciço na guerra, chega a inspirar o medo.
As embaixadas da grande nação parecem “bunkers”, com o trânsito cortado e acessos rigidamente controlados.

Acham que hoje, alguém chamaria América ao cão?


 
O ódio de si próprio

O ponto de partida do ódio a nós próprios é a mentira fundamental, que oculta a parte que tomámos no acto da nossa própria sujeição.

Se uma pessoa renegou o seu Eu, porque ele teria posto em perigo o seu poder, sentimentos vingativos começam a reger a vida.
Insiste-se em ser-se amado por causar sofrimento aos outros, comportamento que, não raras vezes, até se faz passar por caridade.
Antigamente, não tinhamos de amar os nossos pais por nos infligirem dores, pois só era para nosso bem?
Em nome de semelhante "amor" e "carinho" paterno, estabelece-se o poder sobre os outros.

O Nazismo ilustra com uma nitidez pouco vulgar, os processos que ocorrem em qualquer sítio onde as pessoas são separadas do seu interior.
Com o fim do III Reich, os seus pressupostos não foram abolidos.
Em vez da substancia humana, continua a cultivar-se a apresentação exterior; a adaptabilidade, e não a independencia interior, é remunerada.

Cada vez mais frequentemente, o terror oculta-se por detrás de caras sorridentes e daí parte com a amabilidade de um comportamento aparentemente respeitador.
Por isso, tornou-se mais difícil identificar a verdadeira doença da nossa época.

(Arno Gruen, "A loucura da normalidade" 1995)



27.10.05
 
Obrigada, obrigada

Por aquela tão doce
e tão breve ilusão
Embora nunca mais
Depois de que a vi desfeita
Eu volte a ser quem fui
Sem ironia aceita
A minha gratidão /Bela
 
103

Ad Reinhardt, 1964 (can you see it? the greek cross)

Pai
Há mais de cem translacções que divago em torno desta estrela;
Não tenho pressa nem desejo ficar;
Peço-te apenas três coisas;

Serenidade para aceitar o que não posso mudar,

Coragem para mudar o que posso,

Sabedoria para que saiba ver a diferença.


 
Em nome da realidade

Faço uma reflexão sobre o que quer dizer responsabilidade e confronto-a com o que normalmente é considerado a sua medida: o dever e a obediencia.
A partir daí, chego a uma definição de loucura que diverge da preconizada pela Psicologia e Psiquiatria oficiais.
A perspectiva destas últimas limita-se a apreciar o comportamento humano apenas com base no respectivo relacionamento com a realidade o que óbviamente, tem a sua razão de ser.
Só que impede, assim, a aproximação a uma patologia menos evidente e mais perigosa, de cujo método próprio a dissimulação faz parte: a loucura que se encobre a si própria e se mascara de saúde mental.
Essa não tem dificuldade em ocultar-se num mundo em que o engano e o ardil* são comportamentos adequados à realidade.

Ao mesmo tempo que os que já não aguentam a perda dos valores humanos no mundo real são considerados "loucos", atesta-se a normalidade àqueles que se separaram das suas raízes humanas.
E é a esses que confiamos o poder, permitindo que decidam sobre as nossas vidas e o nosso futuro.
Pensamos que eles têm a atitude certa perante a realidade e sabem lidar com ela; mas o "relacionamento com a realidade" de uma pessoa não é o único critério para determinar a sua doença ou saúde mental.

(Arno Gruen, "A loucura da normalidade" 1995)

* eu diria a "sedução".


26.10.05
 
Ganar el respeto

As.com

“...me alegra saber que a Mourinho le gustaría que le enseñara cosas que defiendo.
Le podría enseñar a jugar muy bien.
...
A su edad, tiene tiempo suficiente para aprender a ganar y a perder.
Ganarte el respeto de todo el mundo ya es una historia distinta”

(Johan Cruyff, La Vanguardia )

Por mim, dispenso, mas completamente, soldados que se revoltam, juízes que não julgam, povos que não se sentem, mas acima de tudo... Mourinhos!
A alternativa é cada vez mais o deserto,...
talvez o Sahara, quiçá...

 
Gozar com o pagode


O Tribunal da Relação de Guimarães deu provimento ao recurso de Fátima Felgueiras pedindo a anulação dos depoimentos de três arguidos e das escutas telefónicas constantes no processo do "saco azul" da Câmara de Felgueiras.
A decisão vai obrigar à repetição de toda a fase de instrução do processo, incluindo o debate instrutório, e poderá adiar o começo do julgamento, marcado para o próximo dia 31 de Outubro.

O acórdão considera que "todas as declarações probatórias prestadas por alguém que não foi, indevidamente, constituído arguido, caem sob a alçada da proibição de valoração do art. 58.º, que aproveita, também, aos terceiros eventualmente incriminados".
"Deviam ter sido ouvidos como arguidos logo no início, o que só aconteceu numa fase tardia do processo"
Os juízes da Relação entendem, assim, que os depoimentos dos três arguidos, enquanto testemunhas, "contêm factos passíveis de integrar crimes por eles cometidos", pelo que "não podem ser valoradas e utilizadas como prova contra a arguida/recorrente".

(Jornal de Notícias 25/10/05)

Quer dizer,... não é que não haja crimes... também há é milagres.
A pergunta é:
Para quê a greve marcada pelos meretíssimos juízes e seus acólitos?
Já disse o Sousa Tavares, que ninguém vai dar por nada.

À Justiça, não lhe basta cumprir formalismos, tem de ter credibilidade ou perde a legitimidade.
Apesar de se avaliarem a vós próprios, não se esqueçam, meretíssimos "orgãos de soberania", que não são mais que servidores a quem o vosso Soberano delegou um poder, o de julgar.

Mas claro, o problema não é o vosso... o vosso são carreiras....
25.10.05
 

Quando uma criança começa a perder a consciência do seu Eu próprio, dá-se um acto de autotraição.

Este processo começa por uma criança deixar de aperceber-se dos sentimentos do pai e da mãe de uma forma instintiva, passando a reger-se pela maneira deles se verem a si próprios.
Este tipo de adaptação às necessidades de poder dos pais leva a uma cisão na estrutura psicológica da criança (...)

Quando uma pessoa perde o contacto com o seu interior, só pode recorrer a um Eu falsificado: a imagem que se pauta por determinado comportamento e por atitudes que agradam aos outros.
A incapacidade de estar enraizado em si próprio provoca um comportamento destrutivo e maldoso.

(Arno Gruen, "A loucura da normalidade" 1995)


 
Sentences on Conceptual Art

Mac Cracken 1988 Sagittarius

19. The conventions of art are altered by works of art.
20. Successful art changes our understanding of the conventions by altering our perceptions.
21. Perception of ideas leads to new ideas.

(Sol Lewitt 1969)


 
Sentences on Conceptual Art 18

Mac Cracken 1989

One usually understands the art of the past by applying the convention of the present, thus misunderstanding the art of the past.
(Sol Lewitt 1969)


24.10.05
 
Untitled champions: Luigi Villoresi

French Grand Prix, Reims 1951 (Ferrari 375)

Born in Milan, nicknamed "Gigi," he was the older brother of race car driver Emilio Villoresi who co-piloted with him in several races at the beginning of their careers.
Already 41 years old, Villoresi served as an elder statesman for the F1 team, notably as Alberto Ascari's mentor who became his closest friend.

He retired from Grand Prix racing in 1957 after 32 Formula 1 championship starts without a victory but made it to the podium 8 times.
Villoresi continued rally racing and won the Acropolis Rally in Greece in 1958.
Died in 1997 at the age of eighty-eight.
 
Silverstone Memories (1951)

One of the most important Grands Prix of the postwar years where Froilan Gonzalez (12) with a 4.5 liter Ferrari beat the supercharged Alfa Romeos - Fangio's Alfa n.2 in front of him - for the first time and did the first 100 mph lap of Silverstone.
23.10.05
 
8/34 - Bolas paradas traem o leão

SCP

Gil Vicente 2 Sporting 2

Alegrias: 10
Dores: 10

Liedson 4

Deivid 3
Rogério, Luis Loureiro, Douala 1


Liga Betandwin.com :(
1º. Braga 20 pts

2º. Porto 17 pts
3º. Benfica 16 pts
4º Nacional 15 pts
5º. Sporting, Boavista, Rio Ave, Setubal 13 pts

 
16/17 – Turkish MotoGP (Istanbul) : Melandri 1

MotoGrandPrix.com

Marco Melandri became the fourth rider to defeat MotoGP World Champion Valentino Rossi this season after a thrilling first race at the Istanbul Park circuit in Turkey.
The Italian youngster clinched his maiden premier-class victory with a performance that reflected his dominance throughout free practice this weekend, despite having conceded pole position to his team-mate Sete Gibernau on the final lap of qualifying yesterday afternoon.


MotoGP World Championship after 16 races
1 st. Valentino Rossi (Yamaha 46) 351 points, 11 victories
2 nd. Marco Melandri (Honda 33) 195 points, 1 victory
3 rd. Nicky Haiden (Honda 69) 186 points, 1 victory


 
Fernando Alonso 2005

The Cahier Archives

Let us make the wish that the introverted and over-protected spanish star now finds the will and drive to become a trully open and generous Champion.
22.10.05
 

Podiam estar a matar uma pessoa à pancada e continuariam com um ar perfeitamente normal.
Isso é que não consigo entender.


 
CONTO DA AUSENCIA
Jaime Moxey
Dispo a pessoa que sou,
visto um uniforme de passividade
e assim mergulho na escrita
o único colo onde existem Refúgio e Liberdade.

21.10.05
 
Sentences on Conceptual Art 13

Al-Held 1969 Phoenicia

A work of art may be understood as a conductor from the artist's mind to the viewer's.
But it may never reach the viewer, or it may never leave the artist's mind.
(Sol Lewitt 1969)
 
Sentences on Conceptual Art 12

Al-Held 1969 B W XX

For each work of art that becomes physical there are many variations that do not.
(Sol Lewitt 1969)
 
Surpresa ao jantar

O regresso da escola segura
20.10.05
 
O candidato ideal

Estive em autocensura para preservar a minha imagem.
Chegou agora a altura de me desvendar.

Mudei muito e já consigo controlar os meus defeitos de forma eficiente.
E como vão ver, todos os meus defeitos têm algo de positivo.
Às vezes esqueço-me da vida, mas apenas porque me dedico exclusivamente ao trabalho.
Sou justo, profissional e perfeccionista.
Sou muito recomendável, não se preocupem.
Confiem.
 

Quero lá saber da minha sombra!
Que corra atrás de mim!
Eu fujo dela - dizia Nietzche.

Eu não.
Deixei-a dobrar a esquina.
Nunca mais a vi.


19.10.05
 
António Dias da Cunha

TerceiroAnel.weblog

"Com a idade da razão, aprendi a viver com princípios, os princípios que meus Pais me incutiram, e aprendi também que os princípios não têm excepções – é a velha ideia, fora de moda, bem sei, de “antes quebrar que torcer"

"A decisão que tomei, embora tenha tido a sustentá-la o que fui levado a considerar como o superior interesse do Sporting, violentou-me de forma intolerável"

Muito provávelmente, o melhor homem que já houve, ou haverá, na presidencia do meu clube.
 

 
DIET
Cali Rezo

Estou farta... FARTA.
Não percebo...
Porque é que não me consigo controlar? PORQUÊ???!!!!!
Preciso de matar esta cabeça, porque é que ela não morre? MORRE!

Tiras-me tudo o que tenho de bom... TUDO.
E vais acabar por me tirar de mim própria...
ODEIO isto...
ODEIO...
ODEIO...

Isto é um nojo.

18.10.05
 
From a corner of a shadow

Alnis Stakle

Só acredito no Mal.
O Bem foi inventado pelo homem como forma de achar explicações que ainda não tem.
(Augustina-Escritora)
17.10.05
 
Sentences on Conceptual Art 11

Mac Cracken Group 2004

Ideas do not necessarily proceed in a logical order.
They may set one off in unexpected directions, but an idea must necessarily be completed in mind before the next one is formed.
(Sol Lewitt 1969)
 
Sentences on Conceptual Art 10

Tony Smith, 1964 Wall

Ideas can be works of art.
They are in a chain of development that may eventually find some form.
All ideas need not be made physical.
(Sol Lewitt 1969)
 
7/34 - Académica agudiza crise

Terceiroanel.weblog

Sporting 0 Académica 1
Sentar num estádio de futebol,
assistir ao azedume nascente, antes sequer de algum jogador tocar na bola,
ver a raiva gratuita crescer até o ódio,
creio que leva qualquer ser de boa vontade,
a compreender perfeitamente como no Coliseu de Roma,
a "canalha" vibrava com a morte.

O problema do Sporting não é Peseiro, não é Dias da Cunha, não são os jogadores;
o problema do Sporting são os "sócios"; e o problema dos "sócios" é a vida...
Mudem de vida!

Alegrias: 8
Dores: 8

Liedson, Deivid 3
Rogério, Luis Loureiro 1

Liga Betandwin.com :(
1º. Braga 17 pts
2º. Nacional 15 pts
3º. Porto 14 pts
4º. Benfica, Setubal 13 pts
6º. Sporting 12 pts
16.10.05
 
Round 19/19 - GP China F1/ Shanghai: Alonso 7

RenaultF1.com

Fernando Alonso sang out ‘We are the Champions’ as he drove home his Renault.
The young Spaniard was in a jubilant mood after securing the Constructor's title for Renault by winning the Chinese GP.

World Drivers Championship (season complete)
1 st Fernando Alonso (Renault) 133 points, 7 victories
2 nd Kimi Raikkonen (McLaren Mercedes) 112 points, 7 victories
3 rd
Michael Schumacher (Ferrari) 62 points, 1 victory
4 th Juan Pablo Montoya (McLaren Mercedes) 60 points, 3 victories
5 th Giancarlo Fisichella (Renault) 58 pontos, 1 victory

16th Tiago Monteiro (Jordan Toyota) 7 points
24 classified


 
15/17 – Australian MotoGP (Phillip Island) : Rossi 11

MotoGrandprix.com

Yamaha completed a clean sweep for 2005 today as the Constructors’ World Championship was added to the Riders’ and Teams’ titles thanks to Valentino Rossi’s eleventh win of the season at Phillip Island.
The Gauloises Yamaha Team rider held off a strong challenge from Nicky Hayden to continue his undefeated run at this circuit, which stretches back to 2001.

MotoGP World Championship after 15 races
1 st. Valentino Rossi (Yamaha 46) 331 points, 11 victories
2 nd. Nicky Haiden (Honda 69) 170 points, 1 victory
2 nd. Marco Melandri (Honda 33) 170 points


 
FUCK YOU
Julian Opie

Born with a fucked hearth.
Oh vanity, oh sin
Oh God, save me
From this bad dream.


 
A ruptura dos suportes tradicionais

Jan Christensen 2003, Look into the Future

"When words such as painting and sculpture are used, they connote a whole tradition and imply a consequent acceptance of this tradition, thus placing limitations on the artist who would be reluctant to make art that goes beyond the limitations" (Sol Lewitt 1969)

Lewitt considera a tela o "teatro da idolatria" e combate a arte enquanto sistema de reprodução de receptáculos artísticos.
"Cinco séculos de telas, levam qualquer ser de boa vontade a questionar a perpetuidade em que o elemento ritualístico expulsa o artístico" diz.
A passagem do quadrilátero de pano esticado ou da peça escultórica no meio da sala, para todo o espaço disponível, a "Instalação" de uma obra aberta, foi saudada como a queda das barreiras entre a Arte e a Vida.

Mas há uma resistencia por parte da "intelectualidade".
O género ameaça o mercado da Arte.

A falta de um produto portátil, coleccionável, coloca os artistas numa situação económica difícil, semelhante à vivida pela Arte Abstracta nos anos 50.


15.10.05
 
Astro Física

Jack Youngerman 1970

O que está em cima é como o que está em baixo,
O que está em baixo é como o que está em cima,
Ambos cumprem os desígnios de uma só coisa.

Hermes Trimegisto
(três vezes grande)

14.10.05
 
Richard Serra

Switch 1999

"What happens in that piece is when you go to the center of it, the center is involved with all convex shapes.
So you're walking into the center, and you're in a triangulation of three convex plates.
...
So the inside of that piece has the feeling of being outside,
and yet you've walked through the inside of three pathways on the outside of the inside,
and then on the outside of that there's another outside.
So the whole play between which way—Alice In Wonderland, Hansel and Gretel, or whatever—becomes part of that piece.
...
What's interesting about that piece for me,
it has no ending and no beginning.
There's no main access"

Richard Serra (by appointmentent of Tr)


 
Sentences on Conceptual Art 5

Frank Stella 1970, Ofir

Irrational thoughts should be followed absolutely and logically (Sol Lewitt 1969)

 
Sentences on Conceptual Art 4

Frank Stella 1970, Creede

Formal art is essentially rational (Sol Lewitt 1969)


13.10.05
 
Sentences on Conceptual Art 3

Tony Smith 1963

Irrational judgements lead to new experience
(Sol Lewitt 1969)
 
Sentences on Conceptual Art 2

Tony Smith 1962

Rational judgements repeat rational judgements
(Sol Lewitt 1969)
 
Sentences on Conceptual Art 1

Tony Smith 1959

Conceptual artists are mystics rather than rationalists.
They leap to conclusions that logic cannot reach.
(Sol Lewitt 1969)
12.10.05
 
Do Tempo ou do momento que dura

Dennis Mecham

Quem diz Tempo diz, antes de tudo o mais, Consciência, ou seja Memória, conservação e acumulação do Passado no Presente mas também antecipado no Futuro, na medida em que a atenção ao Presente se dá em atenção ao que vai ser.

“Não é possível reduzir a duração da consciência ao tempo homogéneo de que fala a Ciência, o qual é constituído por instantes iguais que se sucedem.
O tempo da Ciência é um tempo especializado que perdeu por isso o seu carácter original.

Todos os estados de consciência se unificam na fluida corrente da consciência, da qual não se podem distinguir a não ser por um acto de abstracção, e o tempo é, na consciência, a corrente da mudança, não é uma sucessão regulada de instantes homogéneos.”
(Henri Bergson, Essai sur les donnés imediates de la conscience 1889)


“Para um ser consciente existir significa mudar, mudar significa amadurecer, amadurecer significa criar-se indefinidamente a si mesmo.”
(Henri Bergson, L’Evolution créatrice, 1907 pág 8)


Visando eternas discussões sobre o "instante presente", dedico à E-Clair estas palavras do meu velho mestre Henri Bergson.

 
J'EN AI MARRE!

Zsuzsa Naszodi

Subjugada a um jogo sujo aonde tu fazes batota!
Vazas os tomates e pimba, piras-te...

Enquanto eu, eu derramo metal líquido pelos olhos.

Motor aos solavancos,
quando choro pareço um motor com as válvulas entupidas.
J'en ai marre!


11.10.05
 
O Absurdo
"As sondagens que dão Manuel Alegre à frente de Mário Soares são um absurdo" fonte do PS

Não é apenas um lugar físico algures no mapa
é talvez o adjectivo ocidental
o verbo ocidentir
o advérbio ocidentalmente
quem sabe se o substantivo ocidentimento.
Está na palma da mão no nervo do destino
e também no teu corpo aberto ao vento do nordeste
é talvez o teu rosto alegre e triste — esse país
que existe e não
existe. (
M.A. "Senhora das Tempestades")

Este homem faz-me levantar o cú do sofá.
E precisa de 7.500 cidadãos eleitores.
Aqui.



Powered by Blogger