<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11538882\x26blogName\x3dLa+force+des+choses\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://scriptoriumciberico.blogspot.com/\x26vt\x3d-290933400104219020', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
La force des choses
2.5.05
 
Fim de Tarde

ExampleR. Smith


“Mas se verdadeiramente a existência precede a essência, o homem é responsável por aquilo que é. Assim, o primeiro esforço do existencialismo é o de pôr todo homem no domínio do que ele é e de lhe atribuir a total responsablidade da sua existência. E, quando dizemos que o homem é responsável por si próprio, não queremos dizer que o homem é responsável pela sua restrita individualidade, mas que é responsável por todos os homens."
Jean-Paul Sartre

Este post é editado a pensar naqueles que comentaram "Prazeres"(de hoje). Trata-se de uma frase em que me revejo e quero partilhar, em particular, com eles....

Etiquetas:


Comments:
E é a assunção dessa responsabilidade que reflecte a verdade do absurdo.
Obrigado
 
E toda a magia do absurdo foge perante a transparência do que é ilusório mesmo que aprazível,somos responsáveis sim pelo que insistimos em (re)teorizar sabendo porém que à dinâmica do silêncio se sucede o domínio da essência.
 
Estes dois antecipam-se sempre. Que mais dizer?
Algures no meio me situo. Já não sei é se o «existencialismo é um humanismo». Só sei que nada sei. E por aqui me fico.
 
Tito Gérassi chamou a Sartre 'a consciência odiada do seu século'. Terá sido por causa desta frase?... - IO, agradecida por este 'post'.
 
Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger